Qualidade de parques urbanos

     Ao considerarmos a importância da produção de espaços públicos de qualidade em nossas cidades, acreditamos que é preciso lançar o olhar sobre a forma com que eles surgem bem como as maneiras de torná-los melhores à sociedade. A gestão de áreas verdes tem muitos desafios e grandes possibilidades de desenvolvimento, temática essa abordada pela pesquisa Instrumentos de gestão de parques urbanos: o caso do Parque Burle Marx, elaborado pela arquiteta Raquel Domingues. O trabalho aprofunda-se na gestão de parques urbanos na cidade de São Paulo, tomando como principal estudo de caso o Parque Burle Marx (um parque municipal com gestão privada feita pela Fundação Aron Birmann) e, no exterior, o Central Park de Nova York.

DOMINGUES, R.P. Instrumentos de gestão de parques urbanos: o caso do Parque Burle Marx. São Paulo. 2016. 175 p. Especialização, Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.


Modelo jurídico

     Os parques urbanos são importantes elementos do planejamento urbano, e se bem geridos constituem fator capaz de produzir relevantes externalidades positivas à sociedade. No entanto, diversas cidades ao redor do mundo já enfrentam ou preveem dificuldades em garantir recursos para cuidar adequadamente de seus parques.

     Produzido em parceria com o Centro de Pesquisa em Direito e Economia (CPDE) da FGV/Direito - Rio, o relatório "Modelo Jurídico para Parque Urbanos" apresenta uma análise sobre as modelagens possíveis já em uso na gestão de parques urbanos. O objetivo é subsidiar gestores municipais com informações sobre diferentes possibilidades de gestão e financiamento desses espaços.

     Diferentes modelos de parcerias sem fins lucrativos foram estudados em quatro casos brasileiros: Parque Burle Marx, Parque do Povo e Parque Lina Raia, na cidade de São Paulo, e Parque Moinhos de Vento, em Porto Alegre. Foram avaliadas as seguintes dimensões: legislação incidente, termos das parcerias existentes, modelagens adotadas e custeio da gestão. Além disso, o estudo sintetiza os elementos que o gestor público municipal deve considerar na tomada de decisão sobre parcerias.